Adolescência – De volta a Campina Grande

Vista do Açude Velho - Campina Grande

Feriadão do dia do trabalho e eu cheio de trabalho para fazer. Estou com as orelhas ardendo pra caramba, pois, eu as furei hoje pela primeira vez. (Risos).Você deve estar querendo saber o porque dessa postagem excepcional com imagens. Eis a resposta: é uma homenagem a minha terra natal, Campina Grande – PB. Hoje eu começo a falar sobre o meu retorno para lá em minha adolescência.

O ano é 2003. Minha mãe, sentindo-se frustrada, pelo fato de estarmos há oito anos no Rio e não termos conquistado nada, decidiu voltar pro Nordeste. Eu não gostei nada dessa ideia. Adolescente com a minha vida e amigos todos aqui no RJ, eu não queria ir embora de jeito nenhum. Mas fazer o que, né? A gente quando é menor não tem vontade própria. Hoje eu agradeço muito por ter voltado a Campina Grande. O motivo? Já vou contar.

Lembra que eu escrevi que me tornei skatista e tal? Então. Nossa galera tinha amigos que tinham bandas de metal e punk rock. Havia um show marcado na quebrada, onde várias bandas se reuniriam para tocar seus sons. Sexo, drogas e rock’n’roll, essa era a onda.

Num belo dia, deu a louca na minha mãe e ela decidiu marcar a viagem para a semana seguinte. Eu tive que sair às pressas da escola. Nem deu tempo de pegar a transferência. Esta só chegou a mim um ano depois e me prejudicou muito nos estudos. Viajamos na data marcada e não deu tempo de participar desse tal evento que seria realizado pelos meus brothers do rock’n’roll.

Poucas semanas após a nossa chegada em Campina Grande, minha tia me contou por telefone a notícia que me fez dar graças por ter saído do RJ a tempo. Alguns dos brothers do movimento deviam drogas na boca da favela e os bandidos chegaram no tal evento atirando em tudo e todos. Muitos dos meus amigos foram mortos, e, para ser sincero, até hoje eu não sei quem está vivo ou morto.

Deus foi bom comigo, apesar de eu não merecer, me livrou de partir dessa pra pior. Mano, foi difícil me adaptar ao novo estilo de vida. Financeiramente a situação piorou bastante. Tipo… No início, estava tudo sossegado porque a minha mãe chegou com uma pequena reserva de grana que guardou no Rio. Não era muito, mas dava para bancar tudo.

Galera, a lan house aqui vai fechar. Amanhã eu continuo esse bagulho, falando do reencontro com o meu pai. Fui!

Escrito em 01 de maio de 2010

@PetterMC

Anúncios

Véi, disserte sobre o assunto!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s