Adolescência – Longe da escola

Galera, foi mal eu ter atrasado a postagem, mas vocês sabem da minha correria, né? Mil coisas para fazer ao mesmo tempo e na lan house o tempo é limitado ao dinheiro que posso gastar. Mas vamos ao que interessa…

Mano, a fita foi a seguinte: chegamos em Campina Grande praticamente no meio do ano letivo escolar. O pior é que a minha transferência demorou a chegar do RJ. Demorou um ano. Mesmo assim eu fui matriculado em uma escola estadual da quebrada, na condição de receber a transferência, se não eu não passaria de ano.

Justo quando eu estudei de verdade, sem faltar às aulas, com ótimas notas no fim de ano, fui reprovado pelo atraso da documentação. Tremenda irresponsabilidade do pessoal da minha antiga escola no Rio de Janeiro. Por conta disso, fiquei muito desgostoso de estudar. Foi uma grande frustração saber que eu tinha tudo para passar da 6ª para a 7ª série e isso não aconteceu por causa do erro de outras pessoas. Enfim.

No ano seguinte (2004), já estávamos de mudança para outro bairro, o Tambor, zona sul de Campina Grande. Mas deixa eu falar, zona sul em Campina Grande não é como zona sul do Rio. Zona Sul em Campina Grande é subúrbio, existem até um ou dois bairros de pessoas ricas, mas é subúrbio. O bairro do Tambor era, sem dúvidas, um dos melhores bairros da cidade, para mim. E ainda é. Sinto saudades da tranquilidade e das pessoas de lá. Tenho certeza que muitos ainda lembram de mim e me respeitam naquele lugar, onde eu era, e sei que sou considerado. Minha vida mudou bastante depois que fui morar lá.

Ao mudarmos pro bairro do Tambor, ficamos livres de aluguel, pois, mudamos para a casa do meu, então padastro, João. Mas depois falo sobre isso, vamos voltar ao tema da escola. Fui matriculado em uma escola do bairro vizinho, o Catolé. Mas não passei do meio do ano, dessa vez porque eu tinha que trabalhar para ajudar minha mãe que estava desempregada. Aliás, eu já trabalhava desde que chegamos em Campina Grande. Eu mesmo fui procurar vagas em comércio e semelhantes em bairros próximos ao meu. Eu só tinha 14 anos, cara. Quem iria me empregar? Todavia, consegui um subemprego num “lava à jato” no bairro das Malvinas.

Tudo o que eu ganhava – aproximadamente 30 reais por semana – no lava à jato eu dava na mão da minha mãe ou eu mesmo passava no mercado e comprava o básico para dentro de casa. Carne? Só no final de semana: um galeto que a gente comprava e minha mãe colocava no fogo. Ela já alertava a mim e ao meu irmão que aquilo teria que durar sábado e domingo, almoço e janta. O bagulho era doido, mano. Hoje, apesar de não ter uma condição financeira boa, como muito bem. Ainda bem!

Mais um ano se passa e eu continuo na 6ª série do ensino fundamental. Sem estudar. Não que eu detestasse estudar, muito pelo contrário, eu nunca tirei notas ruins em toda a minha vida escolar. O meu problema durante minha adolescência foi matar aulas. Mas quando eu ia na escola e tinha prova eu tirava de letra, sempre com nota alta.

Ninguém entendia como um aluno que faltava o mês inteiro tirava a melhor nota da turma. Quero dizer… Se eu fosse um cara quietinho e fosse todos os dias à escola, a galera ia me taxar como um nerd, mas eu não tinha nada de nerd, a não ser a inteligência icomum para um bagunceiro matador de aulas.

No ano de 2006, quando eu já tinha 17 anos, voltei a estudar ainda na 6ªsérie, mas por causa do trabalho, tive que deixar de ir às aulas e ser reprovado por faltas novamente. Infelizmente. Meu sonho era voltar a estudar e me formar, cara.

Tive que deixar de estudar para trabalhar na minha adolescência e quando atingi a maioridade, não consegui emprego formal por falta de estudo. Modéstia à parte, com 18 anos de idade eu tinha preparação melhor que muita gente com ensino médio completo, para assumir certas vagas de emprego.

Mesmo longe da escola eu sempre busquei conhecimento – lendo vários e vários livros. Tanto é que, conversava com universitários e graduados de igual para igual. Por isso eu alerto sempre a molecada que conheço: leiam livros, busquem conhecimento, pois, por melhor que seja a escola que você estuda, o aprendizado depende de sua vontade de aprender.

Voltei a estudar há um ano, após sair dos empregos que me tomavam todo o tempo útil do dia. Em um destes, eu saía de casa quando ainda estava escuro e chegava de noite. Isso é vegetar. O dono de uma dessas empresas que eu trabalhei me perguntou se eu estava gostando do emprego novo. Aí eu respondi: o senhor quer que eu lhe dê a resposta que todos dão ou quer que eu lhe seja sincero? Ele disse para eu ser sincero. E eu fui. Eu disse: não estou gostando, pois trabalho numa coisa que eu detesto fazer, ganho muito mal para isso e nem posso estudar para fazer o que gosto, pois esse emprego toma todo o meu tempo útil.

Você deve estar pensando que eu estava maluco para falar aquilo na minha primeira reunião na empresa, né? Eu estava mesmo! O maluco olhou para mim e perguntou: “então, por quê você está aqui?”E eu respondi: porque infelizmente eu preciso deste emprego.

Bom, eu vou ficando por aqui. Mas antes de partir eu vou deixar um conselho pra molecada. Você tem pais que trabalham e podem te sustentar. Te dão roupas. Te dão comida. Te levam para passear. Te dão presentes. Te dão mesada. Mesmo assim, você fica bolado porque tem que estudar?

Fala sério, meu mano ou minha mina! Eu não tive nada do que vocês tem hoje e sinto a falta que os estudos fazem para mim. Estou numa idade que se tivesse estudado regularmente, eu estaria me formando e já trabalhando com o que gosto de fazer. Talvez, ganhando uma boa grana para isso.

Então pensem e reflitam nessa minha história. Dediquem-se aos estudos, honrem seus pais, seus amigos, sua escola, seus professores.

Escrito em 06 de maio de 2010

@PetterMC

Anúncios

Véi, disserte sobre o assunto!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s