Ela não me deixa em paz

Ela está comigo 24 horas por dia e ainda assim sente saudades. Como pode isso? Estranho… E… Por mais que eu tente, não é possível levar esse relacionamento adiante.

Não me deixa dormir. Faz um escarcéu para que eu levante do meu descanso noturno e lhe dê a atenção que deseja. Eu juro que sou grosso e e digo-lhe (veementemente) que me deixe em paz, mas… Eu acabo não resistindo ao seu charme e caio em tentação.

Madrugada. São 3 horas e 55 minutos. Nós estamos no ponto alto de nossa conversa. Eu insisto em dizer que está quase na hora de levantar pro trabalho, porém, não tem jeito. Estou cansado e ela me envolve em seus braços.

QUE MERDA!! Já são seis horas da manhã. Não dormi durante a noite e já tenho que levantar e trabalhar cansado, o dia inteiro. Sonolento, irritado, estressado. É tudo culpa dela!

No caminho, rumo ao trabalho, ela segue, lado a lado comigo, falando alto em meus ouvidos. Faz questão de lembrar que eu tenho muitas tarefas importantes para executar e não posso vacilar. Eu acho muito irritante, porém, acabo dando atenção mais uma vez.

Estou no horário de almoço, e agora, posso relaxar e me alimentar em paz, certo? Errado! Ela até me deixa comer, no entanto, não me deixa relaxar nenhum um pouco. Diz assim: “Sabe aquele projeto que você fez? Por mais que você acredite, se eu fosse você teria mais cautela. Não invista seu tempo nem a sua dedicação, pois eu sei que não vai vingar”.

Ao final do dia, uma notícia surpreedente faz com que ela corresse de mim. Depressa. Desesperada. Eu fico feliz. Isso era tudo o que eu mais queria – que ela me deixasse em paz. Mas meu momento de felicidade durou muito pouco. Muito pouco mesmo. Ela me liga e diz: “Hoje você não me escapa, teremos um encontro e eu não irei só.”

Pensei: “Tô ferrado. Não bastasse essa infeliz aparecer aqui, ainda diz que trará companhia consigo.”

Cheguei em casa, tomei banho, jantei, li alguns trechos de um livro – como de costume – e preparei-me pra dormir. As horas passaram e a desgraçada não apareceu. Graças a Deus! Já era tarde eu fui me deitar. Estava exausto, haviam muitas noites que eu não dormia.

Na alta madrugada, qual não foi a minha surpresa? Ela já estava no meu quarto, de pé, me esperando acordar. Quem me cutucou e chamou por meu nome foi a sua companheira, a insônia. E lá vou eu, mais uma madrugada de papo com a minha ANSIEDADE e sua companheira, INSÔNIA.

Abs
@PetterMC

Anúncios

Véi, disserte sobre o assunto!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s