Uma ajudinha, por favor

Hoje eu não aguentei e tive que escrever sobre um assunto que muito tem me incomodado. Pedintes dentro dos trens da Supervia anunciam problemas e pseudo tragédias pessoais com tanta frequência. O mais intrigante é ver que eles mal passam pela porta e já tem gente puxando moedas dos seus bolsos. É como se aquele pedinte estivesse ali todos dias e com hora marcada.

Várias perguntas passam pela minha cabeça: aquela pessoa está mesmo doente? Aquela pessoa é mesmo deficiente visual? Não sei, mas outro dia eu vi um desses deficientes conferindo as cédulas, com a visão.

Outra vez a pedinte usava uma bolsa Armani, mas a mim ela não enganou. Quando a perguntei sobre onde cuidava tão bem dos seus cabelos, ela desfarçou e pulou fora do vagão. Interessante, né? Ela dizia que estava passando fome e portava a fotografia de uma suposta criança doente. Foto amarelada, antiga.

Porque as pessoas caem em mentiras como essas? Eu tenho um palpite: persuasão. O discurso é muito bem amarrado e comovente.

Agora… Quando entra um trabalhador que está cansado de tanto trabalhar desde as sete horas da manhã… O cara oferece bala, doce, água, chocolate, utensílios domésticos e ninguém tem um troco para contribuir com o mano. Ele também tem os seus problemas e limitações, mas não está pedindo, está conquistando o sustento próprio ou de sua família.

#desabafei

Anúncios

Véi, disserte sobre o assunto!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s